Vale do Reno Parte I - De Niederwalddenkmal até o Burg Rheinstein

Chegada


Como falamos no post anterior, escolhemos o carro para essa parte da viagem pela flexibilidade proporcionada. Saimos de Stuttgart de manhã e começamos nossa visita pelo Vale do Reno em  Rudesheim, onde começa a parte mais famosa da Rota Romântica do Reno, considerada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. 

Se aproximando pela margem Sul, ficamos encantados com os impecáveis jardins do calçadão ao longo da margem e sua fantástica visão do Niederwalddenkmal, um famoso monumento em homenagem à Unificação Alemã, realizada pelo Kaiser Wilhem I.





Niederwalddenkmal do outro lado da margem


Nesse ponto, é possível pegar a balsa e atravessar o Reno até a outra margem, onde se pode tomar uma gôndola até o topo do monumento ou visitar o Museu do Vinho , localizado em um antiga fortificação da Região. Mas como o clima não estava ajudando muito para passeios abertos, resolvemos seguir pela estrada de onde logo avistamos as ruínas do Burg Ehrenfels e a da Mäuseturm, uma torre de vigia localizada em uma ilha no meio do rio. Não nos detivemos muito por ali porque estávamos sedentos para chegar no primeiro castelo que visitaríamos nesse dia : o Burg Rheinstein.

Burg Rheinstein


O Burg Rheinstein pode ser facilmente visitado para quem está de carro ou barco, já que tem uma parada bem próxima. No caso do trem o acesso é mais difícil, sendo recomendável pegar um transporte complementar a partir de Bingen ou Trechtingshausen.

Deixamos o carro no estacionamento indicado na rodovia e subimos uma trilha bem cuidado em direção ao primeiro castelo do dia. Durante o percurso,  é possível observar o Burg e o Vale do Reno de vários ângulos, e são uma boa distração para a subida um tanto íngreme até a entrada do complexo.




A fortificação data de 1316/1317 e já teve diversos donos, inclusive da Igreja e famílias da Nobreza Real. Hoje é propriedade privada da família Hecher, de um famoso cantor de ópera.

Na entrada, o visitante se depara com uma ponte elevadiça e um pórtico bem ao estilo medieval.  Entrando na lojinha, compra-se o ticket que dá acesso ao complexo do castelo, que além da parte transformada em museu, ainda possui um restaurante, que durante nossa visita, estava fechado.

Ponte Elevadiça

O pátio interno é surpreendentemente bem cuidado, especialmente  o parreiral  que produzem as mesma uvas viníferas a mais de meio século. É o chamado de jardim de Borgonha. 

Jardim de Borgonha

Parreiral de Meio Século

Vistas do Reno


Do pátio se acessa uma Capela Gótica e os demais aposentos do Castelo, que serviu de residência a vários nobres em um período recente. O salão nobre, chamado Sala dos Cavaleiros, tem uma decoração bastante expressiva, com vitrais e pinturas de muito valor e bom gosto.

Capela Gotica

Vitrais



Armaduras da época

Salão dos Cavaleiros


Mas é do terraço que se obtem as melhores vistas sobre o Rio Reno, só superada pela visão do alto da Torre, um daqueles lugares que você chega e não dá vontade de sair mais...






Ainda extasiados pelas vistas e história do Castelo tivemos que dar tchau para o Burg Rheinstein, pois ainda havia pelo menos mais dois castelos para conhecermos antes de chegamos a Bacharach, nossa primeira cidade de pernoite. Acompanhe como foi o resto do dia no nosso próximo post.