[ALEMANHA] Schloss Lichtenstein e Burg Hohenzollern - Dois castelos de contos de fada na Suábia

Castelos de contos de fada da Alemanha

Estima-se que existam aproximadamente 4 mil castelos espalhados pelo território alemão. As maiores  concentrações desses imensos remanescentes de um passado glorioso e ao mesmo tempo bélico estão no Vale do Reno e do Mosella, mas em diversas outras regiões podemos encontrar fortificações que parecem saídas diretamente de um livro medieval. Tem até uma rota turística própria de castelos cortando o país, já falamos sobre ela neste post.. Por aqui,  vamos abordar outros dois dos mais conhecidos Castelos da Alemanha, que ficam localizados fora da rota, mas bem próximos um do outro, na região da Suábia.

O que é a Suábia?


É uma região que formou um antigo condado na Idade Média, que ainda conserva traços culturais e linguísticos próprios, situada em um território que hoje pertence aos Estados da Baviera e Baden-Württemberg. Tem relevo predominantemente alto, repleto de belas paisagens naturais, entre as quais se destaca os Alpes Suábicos ( Schwäbische Alb), pertencente a cordilheira e maciço de montanhas de Jura. 

As íngremes encostas, despenhadeiros e florestas da região são lugares perfeitos para encontrar alguns dos mais impressionantes Castelos da Alemanha e de toda a Europa, dos quais se destacam o Schloss Lichtenstein e o Burg Hohenzollern. 

Schloss Lichtenstein


Lembra-se da imagem de infância que temos do Castelo do Drácula? Pois é, este e o Schloss Lichtenstein. De extravagante aparência gótica, o Castelo talvez seja o mais conhecido de toda a Alemanha após o Neuschwanstein (já falamos sobre esse castelo aqui.)






História


Assim como o seu "rival", apesar da aparência, o Lichtenstein também não é um castelo da Idade Média. Apesar de ter existido uma fortaleza desde o séc. XII, conhecida hoje em dia como "Old Lichtenstein", sucessivas guerras levaram a constantes destruições e reconstruções sob o domínio dos Cavaleiros de Lichtenstein até meados do século XVI, quando foi abandonada e relegada a um segundo plano. Foi somente em 1840-42, que o Conde Wilhelm de Wurttemberg, inspirado por um romance intitulado "Lichtenstein" de Wilhelm Hauff construiu o complexo atual utilizando as fundações originais da antiga fortaleza. 


Castelo inspirou até games


Hoje o castelo ainda é uma propriedade privada dos condes de Urach, mas foi aberto ao público e é um das principais atrações turísticas da Suábia. Aparece frequentemente nas listas dos castelos mais bonitos do mundo, inspirando a cultura moderna. Só para citar um exemplo, o cenário utilizado pela personagem Cammy do game Super Street Fighter II é baseado nos traços e localização do Lichtenstein.



Como Chegar?


O acesso, como era de se esperar, não é dos mais fáceis. Fica no caminho entre Munique e Stuttgart, mais precisamente em Honau, bem próximo a Tubingen, uma cidade universitária que possui um dos centros históricos mais bem preservados da Alemanha, e que já destrinchamos em outro post. É complicado chegar de transporte público, fica melhor se estiver de carro, subindo uma montanha até encontrar o estacionamento, que nem sempre tem vagas suficientes. Eu disse que era um lugar bastante frequentado.  Do estacionamento, sobe-se uma trilha acentuada até  um conjunto de elegantes prédios que fazem parte do complexo do Castelo, mas ainda nem sinal da vista ilustrada em centenas de sites e guias de viagem. 



O que fazer ?


Logo no portão de entrada, fica a bilheteria, aberta todos os dias de Abril a Outubro e somente aos fins de semana em Fevereiro, Março e Novembro.  Existem visitas guiadas em que se pode apreciar o museu no interior do Castelo, com uma coleção bastante rica de armas antigas e antiguidades, mas se o tempo estiver curto, não se preocupe, o que impressiona mesmo é a vista do pátio interno. Os preços atuais podem ser encontrados neste link.

Ao entrar , a primeira vista da entrada do prédio principal do complexo já impressiona. Uma linda ponte de madeira sobre com uma soberba fachada gótica ao fundo. 





Andando um pouco mais pelo pátio interno você encontrará a verdadeira vista que te trouxe até aqui. É neste ponto que você pára, respira fundo e diz Uau!! O Castelo parece emergir diretamente da ponta do rochedo, que por sua vez dá a impressão de ser um pico desconectado da montanha que você subiu.










 Do outro lado, uma linda vista dos Alpes Suábicos, com seus despenhadeiros, vales, florestas  e vilarejos por todos os lados. É realmente impressionante.




  

Burg Hohenzollern


Este é o conhecido Castelo nas Nuvens que muitos sites e guias de viagens estampam fotos. 

O que pouca gente sabe é que, além da impressionante localização ,  a imponente fortificação também teve uma fundamental participação na história alemã e até mundial. O castelo é a residência ancestral da Casa Real  da Prússia e dos Príncipes de Hohenzollern, a dinastia responsável pela unificação da Alemanha no século XIX e que comandou o país durante a Primeira Grande Guerra Mundial. 


 História


Existe uma fortificação no local desde o século XIII, servindo de residência para os Condes da Suábia. Assim como o Lichtenstein, o Castelo foi destruído e reconstruído devido a guerras e caiu no ostracismo. Foi somente em 1850 que o Rei da Prússia, Frederick William IV , colocou em ação o plano de restaurar a antiga casa da família e construir o mais imponente complexo fortificado da Alemanha no século XIX.  

Situada na mais bela montanha da Suábia, a 880m de altitude, nas cercanias da cidade de Hechingen, bem próximo a Tubingen e Sttutgart. A localização é simplesmente espetacular, o castelo em dias nublados parece flutuar entre as nuvens. Em dias de sol, pode-se admirar toda sua imponência mesmo das rodovias no pé da montanha. Entre os locais , esta montanha é conhecida como Zoller.


Como chegar?


Novamente, como já era de se esperar, o acesso não é dos mais fáceis. Primeiramente você deve chegar até o estacionamento na base da montanha. 

De lá, compre o ticket. Pode-se visitar o Castelo de duas formas :  pagar um ingresso para passear somente pelos pátios ou então ter acesso aos aposentos internos por meio de um tour guiado. Consulte os preços e horários de entrada aqui . 

Espere o ônibus que vai te levar até a entrada do castelo. Uma surpresa, porém, é que depois da tal "entrada", é necessário subir ainda por rampas em formato espiral que adentram as muralhas, são várias curvas elípticas que sobem mais 20 metros até que possa de fato chegar ao pátio externo da fortificação, onde a águia da Casa Real da Prússia lhe dará finalmente as boas vindas.

Foi um bom exercício e a vista do complexo fortificado e de todo o horizonte abaixo compensam o esforço.


Monte Zoller


Castelo Hohenzollern
A águia da Prússia lhe dá as boas vindas

O que fazer?




Apesar da aparência austera, por dentro o Palácio é muito confortável e sofisticado, é preciso usar até pantufas para não danificar o piso. Tem um ar bastante nostálgico e familiar, a guia mostra uma foto da família e explica que , ocasionalmente, o Príncipe da Prússia, Jorge Frederico, passa alguns dias por ali.

O palácio é um dos mais visitados da Alemanha, atraindo cerca de 300 mil pessoal por ano.




Aposteltor (Portal) trazido da Igreja do Kaiser Wilhelm de Berlin 
O complexo é gigantesco, inclui além dos aposentos internos, duas Igrejas : uma católica, moldada ao estilo da Sainte Chapelle em Paris,  e outra protestante.Pode-se visitar a casamata, jardins e tem até um beergarten.  A melhor parte da visita, no entanto, são o tesouro, que guarda as jóias da coroa  e a capela de St Michel, única parte sobrevivente do antigo castelo construído no local.

Pátio interno






Impressionantes muralhas



Burg Hohenzollen


Impressões Finais


A Alemanha tem um dos conjuntos históricos mais bem preservados do planeta, onde se destacam alguns castelos modernos de propriedade privada, mas inspirados em antigas construções medievais, entre elas o Schloss Lichtenstein e o Burg Hohenzollern, a Casa da Família Imperial da Prússia.

Para visitar os castelos , recomenda-se o acesso pelas fantásticas auto-estradas alemãs, e hospedagem na cidade de Tubigen ou Stuttgart, na região da Suábia, com diversas paisagens de tirar o fôlego do viajante. O blog A Vida do Viajante recomenda essa viajante para todos os tipos de viajantes, sem exceção.