[PORTUGAL] Oeste de Portugal - Fátima, Batalha, Alcobaça, Nazaré e Óbidos

Um pouco da mais profunda Religião, Cultura e História de Portugal


Um dos passeios mais famosos oferecidos pelas agências de viagem de Lisboa é o Oeste de Portugal, que inclui visitas ao Santuário de Fátima, Mosteiros de Batalha e Alcobaça, a pacata Nazaré e a simpática Vila Óbidos.

Apesar de aparentemente ser um passeio com tema religioso, na realidade este é tour que certamente agrada a todos os gostos, pois inclui também uma grande quantidade de atrações de interesse histórico, cultural e natural. 

Escolhendo a agência de viagens


A primeira pergunta que se faz em um tipo de passeio "fechado" desses é : vale a pena pagar ou é melhor ir por conta própria? Se estiver pensando em transporte público, esqueça, não dá pra fazer nem metade desse roteiro em um único dia. Lembre-se, como já mencionei nos posts passados que o transporte público em Portugal ainda é muito deficiente.  É claro que você pode alugar um carro e tentar fazer o passeio por conta própria, mas eu acho dificílimo acertar o "timing" para cobrir todas essas atrações no mesmo dia. Além disso, não há muito o que ver ou que se fazer fora as atrações principais dessas cidades, salvo algum interesse religioso em Fátima, não é muito vantajoso ter um tempo livre a mais além do que as agência oferecem. 

Por estes motivos, esse é um daqueles casos que compensa , e muito pagar uma agência de turismo. Mas escolha uma agência não somente pelo preço, mas também com bons reviews no Tripadvisor. Escolhemos a Premium Tour, e não nos arrependemos. O guia foi muito simpático e paciente, nos pegou antes das 8h00m da manhã e só voltamos as 19h00m da noite. A van da Mercedes Benz era novinha e ainda tinha água mineral de cortesia incluso.

Primeira parada : Fátima


Interior da Basílica do Rosário
Para a maioria dos Brasileiros, talvez a principal razão de fazer esse passeio seja a visita ao santuário de Fátima, um complexo de prédios, nos quais se destacam a Basílica de Nossa Senhora do Rosário, a Capelinha das Aparições, no Centro do complexo e a nova Basílica da Santíssima Trindade. Mesmo sem maiores interesses religiosos, dá pra curtir e muito a história do lugar, antes conhecido como Cova da Iria, no ano de 1917 Nossa Senhora teria aparecido aos três pastorinhos : os irmãos Francisco e Jacinta e a sua prima Lúcia e pedido que fosse erguida uma capela em sua homenagem. A chamada Capelinha das Aparições  foi concluída no ano de 1919 e marcou o primeiro edifício do Santuário. Com o passar dos anos, e aumento crescente de peregrinos, foram sendo adicionados as duas Basílicas para comportar a quantidade de fiéis, que se aglomeram no local, principalmente próximo ao dia 13 de Maio, data da primeira aparição da Santa.



Basílica do Rosário

Do ponto de vista arquitetônico e estilístico, a principal atração é sem dúvida a Basílica de Nossa Senhora do Rosário com a bela colunata que rodeia a praça central. Dentro da Igreja, não deixe de visitar o túmulo dos três pastorinhos que se encontram nas laterais próximas ao altar principal. A capelinha das aparições tem valor mais sentimental e histórico, enquanto a nova basílica  não chama muita atenção pelo estilo mais moderno de construção, semelhante ao que encontramos no Brasil.



Colunata na Basílica antiga do Rosário


Vista da Basílica nova e capelinha a partir da Basílica velha


Túmulo das primas Jacinta e Lúcia na Basílica do Rosário


Saindo dali, nosso simpático guia, o Sr Franscisco, nos levou até Valinhos, a pequena cidade que conserva praticamente intocada as casas de Francisco, Jacinta e de Lúcia. Ali, mesmo quem não é religioso, se emociona com a simplicidade dos cômodos da casa dos irmãos que morreram tão jovens e se surpreende com a fé inabalável dessas crianças, mesmo com tanto sofrimento.

Casa de Francisco e Jacinta

As casas ainda estão bem preservadas
A vila é muito simpática, com construções bem preservadas que complementam a história dos pastorinhos (compare as fotos tiradas na época com as casas no local). Ali também é possível adquirir diversos tipos de lembrancinhas em casas especializadas por toda a redondeza e a preços bem razoáveis. Artesanato, confecção e bebidas típicas estão por toda parte, que fazem de Valinhos o lugar ideal para trazer uma lembrancinha para os parentes que ficaram no Brasil.

Os Mosteiros de Batalha e Alcobaça



Saindo de Valinhos, o Sr Francisco conduziu a Van até o Mosteiro de Santa Maria da Vitória. Mandado construir por D João I, em 1386, em comemoração à vitoria Portuguesa sobre a Espanha na lendária Batalha de Aljubarrota, ocorrida bem próxima dali. Hoje em dia, o Mosteiro é mais conhecido como o Mosteiro da Batalha.

No local, nosso guia contou a impressionante história da Batalha e do Santo Condestável.  Logo ao chegar, o visitante se surpreende com a gigantesca estátua equestre de Don Nuno Álvares Pereira (lembre dele do Mosteiro do Carmo de Lisboa neste post ), conhecido como o Condestável do Reino, e que foi o grande Comandante responsável pela memorável vitória Portuguesa , em menor número, perante as forças reunidas de Castela, que ameaçava retomar o trono português. A vitória foi tão impressionante que Don Nuno atribuiu a vitória à Nossa Senhora e o Rei Dom João I prometeu construir o mosteiro em sua homenagem.

A conquista Portuguesa consolidou definitivamente o Reino de Portugal e abriu caminho para seu desenvolvimento que culminou com a Época dos Descobrimentos.

O Mosteiro é uma das construções mais impressionantes de Portugal, na minha percepção, até mais que o Mosteiro dos Jerônimos, dado sua grandiosidade e imponência. Visite o Túmulo do Rei D João I, os Claustros e se assombre com as Capelas Imperfeitas, uma parte inacabada do Mosteiro, que a luz do sol se ilumina de uma maneira mágica.

Fachada do Mosteiro da Batalha

As Capelas Impefeitas


Don Nuno e o Mosteiro da Batalha

Dali, seguimos para o Mosteiro de Alcobaça, que ao invés do tradicional estilo Manuelino possui  uma fachada mais moderna, parecida com nossas Igrejas da época colonial. Por dentro, percebe-se que é uma construção  menor que a anterior e um pouco mais simples, onde se destaca a Igreja principal, cuja principal  atração são os túmulos de Dom Pedro I e Dona Inês de Castro, protagonistas de uma história de amor digna de um filme. Já conhece a história?

Fachada do Mosteiro de Alcobaça

Arte Sacra no Mosteiro de Alcobaça


Enquanto príncipe, Dom Pedro I casou com a castelhana Dona Constanza, mas se apaixonou pela camareira de sua esposa, Dona Inês de Castro. Após a morte de Constanza, Pedro e Inês passam a viver juntos, suscitando o ódio do seu pai, o rei Afonso IX, que termina por ordenar o assassinato de Inês de Castro. Ao herdar o trono, Dom Pedro I alega um casamento secreto com Dona Inês e obriga a Corte a aceitá-la como Rainha póstuma e manda trasladar seu corpo , com todas as honras, para um sacórfago no Mosteiro de Alcobaça.  Alguns falam até que teria obrigado os nobres da época a beijarem a mão do cadáver, em uma macabra cerimônia póstuma de coroação, o que deu origem a expressão "Agora Inês é morta!". 

O sacórfago de Inês de Castro e do próprio Dom João I ainda estão lá até hoje, de frente pro outro, de forma a propiciar aos amantes se olharem nos olhos ao ressuscitarem no dia do Juízo Final. Vale a pena visitar também o refeitório e a cozinha utilizada pelos antigos habitantes do edifício, com um engenhoso sistema de circulação de água.

Nazaré 


Nazaré é uma pequena cidade de pescadores, que ainda conserva várias tradições antigas. Primeiramente, repare nas bem preservadas construções com fachadas de azulejos, as ruas de pedra e finalmente nas casas e vestimentas simples das moradoras locais, com seus vestidos invariavelmente negros, quando viúvas. É sem dúvida, um lindo pedaço das raízes mais tradicionais de Portugal.

 Em pouco tempo se chega à gruta de de Nazaré. A lenda conta que no ano de 1182  um antigo nobre português se descuidou  em uma caçada e quando deu por si, encontrava-se no meio de um nevoeiro, a beira da morte, no alto da falésia  hoje conhecida como Sítio da Nazaré. Ao reconhecer a gruta onde se venerava uma antiga imagem de Nossa Senhora pediu seu auxílio naquela situação difícil, e seu cavalo milagrosamente estancou diante do precipício. A imagem foi trazida da Galiléia   por um monge eremita que havia se refugiado naquela gruta no ano de 711. Foi então construída a capela, que abrigou a imagem até sua transferência para o altar da mais recente e bonita Basílica de Nossa Senhora de Nazaré, que se encontra a poucos passos de distância.

Basílica de Nossa Senhora de Nazaré

Falésia do sítio da Nazaré

Do mirante em frente a capela, temos a vista da linda praia de mares azulados e ondas propícias ao desenvolvimento do surfe, que anda atraindo cada vez mais turistas à cidade. É do mar que vem também outra grande atração de Nazaré : a sua gastronomia. Mariscos e peixes fresquinhos são servidos em fartos pratos em alguns dos muitos restaurantes existentes na região. Nosso guia levou-nos até o restaurante O Marcos, onde saboreamos o melhor Bacalhau que já provamos na vida. As porções eram tão gigantescas que, apesar da fome, ninguém conseguiu terminar o prato. 

Bacalhau português

Última parada : Óbidos



Típica cidade Medieval Portuguesa

Era tarde do dia, mas ainda havia tempo para mais uma atração neste incrível passeio : a vila de Óbidos, uma cidadela fortificada totalmente murada e tão bem preservada, que até hoje conserva as mesmas dimensões que possuia em 1527. Como nas outras atrações do dia, a história da vila é tão pitoresca quanto o local em si.




Situado no alto de uma colina, o Castelo de Óbidos é o típico burgo medieval romântico que vemos nos livros de história de cavaleiros e donzelas. A cidade, inclusive, era comumente dada a  rainhas como dote por diversos reis lusitanos ao longo dos anos. Junte um punhado de ruas de pedra, charmosos casarios e monumentos preservados,  acrescente uma bebida típica - a ginja - e você terá um lugar mágico, quase cenográfico. Isto é Óbidos, pena que a principal atração da cidade, o Castelo, hoje seja um hotel de luxo com acesso restrito aos visitantes, uma pena mesmo...


Óbidos também é um bom lugar para comprar vinhos, existem diversas lojas especializadas na cidade, perfeitas para trazer lembranças de volta pra casa. Não deixe de provar a Ginja, um licor feito de cereja selvagem, que lá é servido com um copinho de chocolate e agrada a todos os paladares e bolsos (custa apenas 1 euro).


Uma das ruas de óbidos


Ah, e se tiver um tempinho a mais, passeie pelas muralhas do castelo, dizem que vale muito a pena, inclusive para umas vistas privilegiadas do castelo que hoje abriga o hotel

Pórtico de entrada da vila

Impressões Finais 

Portugal é um país singular, que reserva inúmeras atrações e belezas a serem desvendadas pelo viajante. Se alguns torcem o nariz para o jeitão pessimista das pessoas e da falta de organização em alguns serviços públicos, a situação no país ainda é muito melhor e estruturada que muitos outros países como o Brasil e até mesmo alguns da Europa. Lisboa, Sintra e Óbidos já são excelentes motivos para uma visita a nossos patrícios, que nos remetem a nossas própria raízes e nos recordam que um povo sem história nunca terá qualquer futuro.


  • Dicas :
  • Procure agências de viagem com boas recomendações no tripadvisor
  • Peça para seu guia passar em Valinhos, nem todas as excurssões passam por lá e a visita vale a pena.
  • Use o Lisboa Card para entrar de graça nos Mosteiros de Alcobaça e Batalha
  • Prove a ginja em óbidos no copinho de chocolate por 1 euro, vale a pena.