[PORTUGAL] Sintra - Roteiro bate e volta de Lisboa em 1 dia

Sintra

A Vila de Sintra é uma cidade (concelho) pequena, considerada Património Mundial/Paisagem Cultural da UNESCO dada a quantidade e importância das atrações existentes espalhadas pela área. Conta com vestígios de habitações desde a época em que os Mouros dominavam a Península Ibérica e foi a cidade preferida de vários nobres e de famílias reais portuguesas. Ainda hoje conserva o clima ameno e charme dos tempos áureos do Império Português.

Como visitar e se locomover em Sintra em um passeio de 1 dia


Em Sintra, teoricamente, não é necessário contratar uma excursão nem alugar um carro. Para chegar até lá, saem trens frequentemente da estação ferroviária do Rossio em Lisboa e dentro da cidade existem duas linhas turísticas que levam às principais atrações. A linha  435  leva a Quinta da Regaleira e Palácio de Monserrate, enquanto a 434 faz a rota Castelo dos Mouros e Palácio da Pena. As paradas se localizam tanto ao lado da estação de trem quanto no centro da vila. 

Dito isto, agora é preciso saber que, infelizmente, o transporte público para turismo ainda não funciona 100% em Lisboa e imediações, incluindo Sintra. Na minha experiência, tomei o metrô até a Restauradores/Rossio, porém, se havia realmente alguma ligação subterrânea do local de onde saem os trens, a sinalização estava bastante deficiente e acabamos tendo que sair da estação e procurar a entrada de superfície  estação Rossio,  que por sinal, também não contava com nenhuma identificação na sua fachada. Reparem na foto abaixo.

Imagem da Wikipedia

Dentro da estação de trem, mais problemas com a falta de informação. Perdi mais uns preciosos minutos pegando uma fila na bilheteria para imprimir um bilhete pro trem, no entanto quando apresentei o Lisboa Card, a atendente disse que bastaria seguir direto  para roleta de acesso à plataforma de embarque. Não custava explicitarem melhor isso nos folders do cartão né? Aliás, vou reforçar aqui de novo a má qualidade do material em que o Lisboa Card é impresso, resultando em falhas tanto na validação nas estações de metrô, quanto aqui no trem de Sintra, muito cuidado para não amassar seu cartão, para não ter que pular a roleta =)

Ao chegar em Sintra, você pensa : agora vai. Que nada, os ditos ônibus turísticos da cidade, se assemelham muito ao de Lisboa, ou seja, andam sempre lotados e demoram muito mais do que o tempo previsto pela 'timetable'. Na prática, os ônibus que deveriam circular em intervalos curtos de 20 minutos, levaram quase 1 hora para nos levar de uma atração à outra, o que impossibilitou cumprir o meu planejamento inicial de roteiro. Tivemos que trocar o almoço por um lanche e sacrificar a visita ao Palácio de Sintra (também chamado Palácio da Vila).

Pode ser que tenha dado azar, por ter visitado a cidade em um feriado (1 de Maio), lotada de turistas. Mas a impressão que ficou é que este passeio tipo bate e volta pode ser bem melhor aproveitado se feito de carro ou mesmo em uma van, pois apesar de sair mais caro, você não fica dependendo desses meios de transporte locais que parecem ser deficientes em todo Portugal.


Roteiro detalhado de 1 dia em Sintra


Manhã - Quinta da Regaleira e Monserrate


Quinta da Regaleira

Bem, deixando de lado os problemas com o transporte, Sintra é uma beleza de cidade. Espere charmosos edifícios, um clima serrano e uma vegetação exuberante. Para o dia render mais, pegue a linha 435 e desça na atração que abre mais cedo no dia, a Quinta da Regaleira, um sítio repleto de curiosas construções cheias de elementos místicos e simbólicos. Logo na bilheteria  perguntamos se poderiamos levar o carrinho de bebê conosco, e seguimos até a Capelinha da propriedade. Logo, a administração do local enviou uma acompanhante para nos guiar pela propriedade, e foi realmente uma grata surpresa, porque sem ela não teria dado para ver nem metade dos locais que visitamos.

Eu realmente não fazia idéia de quanto o local é enorme e com uma riqueza de detalhes impressionante. Aprendemos muito sobre a história do lugar, o dono original era um brasileiro, por sinal, o cafeeiro Antônio Augusto Carvalho Monteiro, filho de pais portugueses.  Visitamos suas grutas, fontes, cachoeiras, pontes, o poço místico, torres, muralhas, pátios, entradas secretas, ufa!!! E no fim, ainda tem o palacete, infelizmente, aberto somente o andar térreo para visitação. É tanta coisa que não dá para falar de tudo aqui, meu conselho : se gosta de natureza e/ou misticismo, chegue cedo e reserve umas duas a três horas por lá e aproveite tudo o que o lugar tem a oferecer, é uma experiência que não se arrependerá.


Palácio da Regaleira
Vista do Castelo dos Mouros e do Palácio da Pena da Quinta da Regaleira
Poço Iniciático

Palácio de Monserrate

Com o mesmo ticket do ônibus ainda dá pra fazer uma segunda visita : o Palácio de Monserrate. A entrada fica no alto de um morro e deve-se seguir uma trilha de areia e pedras até o palácio e seus jardins, que fica mais embaixo, a cerca de uns 10 minutos, passando por uma cachoeira no caminho. O palácio em si, construído para ser a residência de verão da nobre família Cook,   não é muito grande, mas é bonito e fotogênico, rodeado de roseiras e um agradabilíssimo jardim paisagístico, ideal para um piquenique.

A visita interna tem como pontos altos o salão com o colorido domo e os corredores em estilo árabe. Como já estava em horário de almoço, aproveitamos para fazer um lanche por ali mesmo e foi nossa sorte, porque o ônibus da volta demorou simplesmente mais que uma hora para passar, "roubando" nosso tempo de almoço programado no centro da cidade.





Abóbada  dentro do Palácio

Detalhe da abóboda
Jardins do Palácio
Tarde - Vila de Sintra (Palácio da Vila) e Palácio da Pena


Descemos do ônibus 435 em uma parada próximo ao Centro da Vila e esperamos mais uma meia hora para o próximo transporte (agora da linha 434) que leva ao Castelo da Pena aparecer. Novamente, ônibus atrasado, lotado e ruim de andar com carrinho de bebê. Depois de uma longa subida, descemos na bilheteria do Palácio da Pena, que ainda fica bem abaixo do local do castelo propriamente dito. Não pensamos duas vezes e compramos mais um ticket para o ônibus interno do parque que leva até a porta do castelo em si, acho que valeu muito, porque estávamos famintos e exaustos  da maratona de ladeiras e ônibus desconfortáveis do dia. Mas o esforço foi recompensado com a visão do castelo da Pena, no alto do morro

Palácio da Pena

Árvore Genealógica da Familia Real Portuguesa
O Palácio foi mandado construir por Fernando II, rei consorte de Maria II, esta conhecida no Brasil como Maria da Glória, filha do Imperador D Pedro I e D Maria Leopoldina. No interior do palácio tem até a Árvore Genealógica da família Real de D Pedro I, nos dando uma gostosa sensação familiar de que também fazemos parte desta história. A visita começa pelo pátio, com uma belíssima vista das montanhas e do mar. repare nos portões de entrada, os elementos góticos, torres e monstros marinhos encravados na fachada são fantásticos. É uma versão portuguesa dos castelos românticos que tomaram conta da Europa por volta dos séculos XVIII  e XIX, como o castelo de Neuschwanstein da Alemanha.

Portão de entrada do Palácio

Subindo a entrada do Palácio
Monstro Marinho na fachada do Palácio
Nosso ticket permitia ainda a entrada no interior do palácio, o que é interessante, mas nãi imprescindível. Explico, diferentemente do exterior, os aposentos do palácio são bastante simples, sem as decorações extravagantes nem o luxo que seria esperado para uma construção desse porte. Se tiver pouco tempo ou achando o ingresso completo caro (que de fato é), compre a opção mais barata que inclui  somente os terraços que já vale a pena (desculpe o trocadilho).



Decoração extravagante do castelo

Pátio interno
Terraço superior























A visita termina no terraço superior que dá acesso a cafeteria do Castelo. Para nossa sorte, estavam a venda as famosas queijadas da Sapa, além de café, bebidas e salgados em local com vista de tirar o fôlego. Perfeito para aplacar nossa fome. Na volta, pegamos mais uma monstruosa fila para o ônibus e, devido ao horário e cansaço, nem nos atrevemos a parar no centro da vila, indo direto para a estação de trem, sem dar tempo de visitar a última atração do dia : o Palácio da Vila (Sintra).


Resumo Final


Sintra foi a cidade mais bonita e agradável que visitamos em Portugal. Algumas pessoas, visitam apenas o Palácio da Pena e seguem para Cascais antes de voltar para Lisboa. Mas na minha opinião, Sintra merece muito mais do que isso, na realidade achamos um dia muito pouco para fazer justiça à cidade. A cidade tem potencial suficiente para uns dois dias inteiros, incluindo um pernoite. Ô vontade de voltar... 


  • Dicas :

  • Se tiver o Lisboa Card, vá direto para a catraca de acesso ao trem, não é necessário bilhete de trem.
  • Use calçados confortáveis, pois as visitas das atrações são em terrenos acidentados e normalmente em trilhas de pedra e areia.
  • Caso queira visitar mais de três atrações no mesmo dia , considere alugar um carro ou uma excursão, pois o transporte público em Sintra demora muito para passar.
  • A entrada do Castelo da Pena é muito cara, mas existe um ingresso que permite somente o passeio pelos terraços que já pode valer a pena.