[Europa 2013] Dia 3 : Bate-e-volta de Munique a Fussen (Neuschwanstein) no Inverno

Utilizando o Bayern Ticket para fazer um bate-e-volta até Fussen

Dia 26 de Dezembro, diferentemente do Brasil, é feriado na maioria dos países da Europa, incluindo a Alemanha. Como já expliquei no post passado, fins de semana e feriados são ótimas opções para usar  o Bayern Ticket. Um dos melhores passeios bate-e-volta quando se está hospedado em Munique é pegar o primeiro trem da manhã e visitar os castelos do Rei Ludwig II em Fussen, uma das atrações mais visitadas do país. 

Apesar da distância, a viagem até Fussen dura menos de 2 horas. Mas chegue cedo para pegar um bom local no trem., pois Munique esta sempre lotada de turistas, a grande maioria asiáticos, e não há reserva de lugares em trens regionais.  Apesar do nosso hotel estar localizado ao lado da estação de trem, acababamos calculamos mal o tempo e chegamos na estação atrasados. Resultado : o trem estava quase lotado. Os poucos lugares que ainda restavam, estavam dispersos em vagões diferentes. Na hora,  fiquei com receio de bater a fiscalização e sermos multados, pois uma das condições do Bayern Ticket é que todos estejam viajando juntos, mas devido ao cansaço decidimos ir sentados, mesmo que fosse em vagões diferentes. Quando já estávamos quase chegando em Fussen, o fiscal passou para conferir os tickets, mas foi super tranquilo, não incomodou de forma alguma meus pais que estavam em outro vagão, nem sequer precisei acompanhá-lo para mostrar onde eles estavam. No mais, é só curtir a paisagem do trajetol, campos bem cuidados coroados pelos Alpes aos fundos.

A caminho de FUSSEN

A caminho de FUSSEN

Ao desembarcar em Fussen, já são disponibilizados vários ônibus vermelhos esperando para levar aos castelos, que ficam na cidade vizinha de Schwangau. Note que não é necessário pagar a passagem de ônibus, pois, o próprio bayern ticket pode ser usado em todo o trajeto sem qualquer custo adicional. Nesse momento, já havia me dado conta de ter subestimado a quantidade de turistas naquela época do ano e me arrependi de não ter feito a reserva antecipada da visita guiada aos castelos.

Mesmo sendo um dos primeiros a chegar no ticket center, o ticket combinado (que permite visitar os dois castelos existentes no lugar ) só teria entrada para as 13h da tarde. Como ainda queria voltar para Munique cedo de forma a aproveitar um pouco da noite da cidade, decidimos visitar somente o Neuschwanstein. Portanto, fica aqui a dica para fazer a reserva antecipada dos tickets se pretender visitar os dois castelos.

Visita ao Castelo de Neuschwanstein

O castelo de Neuschwantein é a síntese do espírito romântico dos cavaleiros europeus. Seu idealizador, o Rei Ludwig II da Bavária, levou a coroa à beira da falência para construir essa verdadeira elegia à loucura. Não foi àtoa que esse  monumento levou à sua deposição e posterior morte, não se sabe até hoje se foi suicídio ou homicício. O certo é que o Rei possuia um fenomenal bom gosto, que pode ser observado em seus castelos, em Bondsee, Linderhof e Schwangau. Este último, o mais extravagante deles, é justamente o castelo de Neuschwanstein. Construído em cima de uma colina na porta dos Alpes, este castelo inspirou Walt Disney a criar o castelo da Bela Adormecida, até hoje a principal marca dos estúdios Disney. 

Para se alcançar o castelo, deve-se subir a colina ou tomar uma das carruagens terceirizadas que sobem as ingremes encostas da montanha. A pé, a subida demora uns 45 minutos e de carruagem leva-se cerca de 15 minutos. O problema é que a fila para se embarcar nas simpáticas carruagens é frequentemente gigantesca. Vários guias impressos especializados alertam que há possibilidade de perder o horário de entrada para a visita guiada. E foi justamente isso que aconteceu conosco, pois meus pais não quiseram fazer a subida a pé. Felizmente,  a administração do castelo resolveu o problema nos alocando em um outro horário. A visita pode ser feita com audio guide em português e não é uma visita demorada. Por falar nisso, já havia feito a mesma visita em Maio de 2012 e reparei que desta vez não mostraram sala de jantar do rei, um dos compartimentos mais interessantes do castelo. A sala possuia um mecanismo de baixar e levantar a mesa principal, para que o rei não tivesse contato com a criadagem. Outra curiosidade é que aparentemente o Rei não gostava de ser retratado, pois só há uma única foto do rei no imenso castelo. Extravagante não? Mas de qualquer forma, apesar do castelo nunca ter sido finalizado internamente, vale muita a pena a visita.

A entrada do castelo

A entrada do castelo

Após a visita, a maioria das pessoas fazem a trilha até aponte  a ponte de Marienbrucke, de onde se tem a melhor vista do castelo. Desta vez, porém, uma barreira impedia o acesso à estrada, provavelmente devido às nevascas comuns à essa época do ano. Porém, ninguém parecia querer perder a oportunidade  de tirar uma foto na ponte e várias pessoas simplesmente ignoravam o aviso e pulavam a barreira. Como eu já conhecia o caminho e sabia que não tinha nada demais nele, fiz o mesmo e deixei meus familiares esperando por mim na entrada principal do castelo. O caminho realmente estava bastante escorregadio em vários pontos, com algum gelo acumulado e várias outras barreiras, mas nada iria   impedir de curtir a paisagem fenomenal do caminho.

A caminho da ponte Marienbrucke
A caminho da ponte Marienbrucke


Neuschwasntein

Neuschwasntein

No caminho de volta ao ponto de ônibus, há várias lojinhas de souvenir, barracas de lanches e bons restaurantes. Eu lembro que há também o belíssimo castelo de Hohenschwangau a ser visitado. Este era a residência oficial dos pais de Ludwig II e onde ele mesmo passou sua infância. Se tiver tempo, não perca a visita, pois vale bastante a pena (já fiz essa visita em outra viagem).

Neuschwasntein

Neuschwasntein

Hohenschwangau

Mais cervejarias em Munique

Ainda utilizando o bayern ticket , a dica é voltar a Munique e aproveitar o impecável sistema de metrô U-Bahn e S-Bahn para conhecer melhor a cidade. Minha primeira parada foi na igreja do Espírito Santo, pequena, mas muito charmosa, fica quase ao lado  de São Pedro que, infelizmente, já estava fechada. A badalada do Old Pete, o sino desta Igreja, pode ser ouvido a centenas de metros de distância.

Agora era hora de conhecer mais outras famosas cervejarias da cidade. A primeira parada foi na Paulaner, marca muito conhecida no Brasil.A paulaner in tal é mais restaurante bem legal e o prato principal da casa é o leitão da bavária, o schweinebraten, acompanhado pela cerveja da casa. Dessa vez escolhi a dunkel, cerveja preta bastante forte  para acompanhar o prato abaixo e adorei a escolha. Para quem curte o assunto, a munich dunkel é uma cerveja de baixa fermentação como uma pilsen (lager), mas de sabor mais encorpado e amargo.

Schweinebraten - O leitao da bavária

Fachada da cervejaria PAULANER

Aproveitando o resto da noite, passamos ainda em outra beerhall, mais ao estilo da Hofbrauhaus. A escolhida foi a tradicionalíssima Augustiner. É a mais antiga cervejaria de Munique, fundada em 1328 e é considerada a última grande cervejaria local da cidade, que se sustenta sem qualquer espécie de marketing. A festa continuou aos goles de helles, dunkels, weiser e radlers  retiradas diretamente dos barris de madeira sem conservantes. E foi assim, em grande estilo, que nos despedimos da capital da cerveja.

Augustiner Bierhalle
Avaliação Final

Munique é uma cidade completa, uma metrópole repleta de atrações para todos os gostos, com igrejas, museus e cervejarias de alto nível. Já viajei duas vezes para essa cidade e ainda não conheci nem metade das suas atrações. Nas imediações da cidade, o palácios de nyphenburg e o campo de concentração de Dachau também valem uma visita. E, para fechar com chave de ouro, confira os castelos do rei Ludwig II, especialmente o Neuschwanstein Seu único problema sera arranjar tempo para fazer tudo isso... =))


  • Dicas :
  • Paulaner im Tal. Prove o leitão "orgânico", especialidade da casa.
  • Augustiner Bierhalle. Opções de chopp no barril. Neuhausestrasse 27. 

Comentários

  1. oLÁ mÁRIO

    Vc acha que vale a pena dormir uma noite em Fussen? Você conhece Garmisch Paterkinchen ?
    Entre Bamberg e Rothenbourg vc não acha que esta última vale a escolha em relação à primeira
    Abços

    Maria Esther

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria Esther,

      Já pernoitei em todas as cidades que você citou, exceto Bamberg. Rothenburg é linda à noite, muito mais bonita que Fussen e Garmirsch. Mas sofre do mesmo "problema" : todas as atrações fecham bem cedo, até mesmo os restaurantes. Como já falei, não dormi em Bamberg, mas considerando que tem cervejarias bem famosas, acredito que possa ter uma noite mais animada. Apesar de pacatas, Fussen e Garmisch tem muitas atrações durante o dia que justificam o pernoite, e fica ainda perfeito se você quiser pegar o primeiro horário da manhã para subir o Zugspitze ou visitar os castelos do rei Ludwig e partir para outro lugar de tarde.

      Excluir

Postar um comentário