[Europa 2013] Dia 7 : Heidelberg : Romantismo na Alemanha


Heidelberg - A cidade

Heidelberg é um dos mais procurados destinos turisticos alemão, visitada por milhares de turistas de todo o mundo. E o que leva tantas pessoas a esta pequena cidade às margens do rio Neckar? Heidelberg resume muito bem a essência romântica dessa região da Alemanha. 

Ao mesmo tempo em que conserva seu lado provincial, com uma paisagem emoldurada por belas igrejas, antigas pontes e pelo seu imenso castelo, vários restaurantes, modernas lojas e hospedagens oferecem uma excelente  infra-estrutura aos turistas. A proximidade com o movimentado aeroporto de Frankfurt é outro fator de suma importância para explicar o fenômeno do turismo na cidade.

Primeira visita ao castelo de Heidelberg

A principal atração da cidade é, sem dúvida alguma, o imenso castelo que se situa em uma colina da Königstuhl, a montanha que rodeia a cidade. A melhor forma de alcançar o castelo é através do funicular, que parte da praça KornMarkt. Mas essa não é a única forma de se visitar o castelo, é possível  também ir de carro ou mesmo a pé, a partir de uma ladeira asfaltada.

A primeira visita que fizemos ao castelo, no fim do dia da rota dos castelos do neckar foi feita de carro, Embora a hora já estivesse adiantada, foi grande a dificuldade de encontrar um lugar para estacionar, devido a imensa quantidade de turistas. Quando enfim, conseguimos chegar ao centro de visitantes,  não estavam mais vendendo tickets de entrada. Ficamos apenas admirando o enorme complexo pelo lado de fora, assim como o romântico pôr do sol visto do castelo, uma vista impressionantemente bela. A entrada no complexo ficaria para o próximo dia.



Pôr do sol do castelo de Heildelberg

Um jantar italiano


A noite dessa cidade surpreendentemente reserva algumas surpresas. As opções  vão desde tavernas estudantis até restaurantes de alta gastronomia. Uma boa opção para quem gosta de uma legítima cantina italiana é o Da Vinci, especialista em massas.

Escolhemos o tagliatelle al Salmone com um vinho tinto para acompanhar e dificilmente poderíamos ter ficado mais satisfeitos. O ambiente do restaurante é super charmoso, com decoração a luz de vela e um atendimento de primeira qualidade. Boa opção para curtir uma boa refeição, sem ter que desembolsar  uma pequena fortuna para isso.

O centro histórico de Heidelberg

No dia seguinte, deixamos o carro no Hotel e subimos no moderno ônibus urbano ao lado da HBF, a estação principal de trem da cidade. Havia me programado no meu roteiro de 4,2 km para descer na marktplatz, mas os ônibus urbanos só vão até a BirsmarckPlatz, no comecinho do centro histórico. Foi o jeito então improvisar, essas coisas fazem parte de qualquer viagem. Era uma gelada manhã de domingo, e a  Hauptstrasse, a principal rua comercial da cidade, estava praticamente deserta.


Exibir mapa ampliado

A partir dessa rua, que na verdade é um calçadão de pedestres,   chega-se facilmente aos principais pontos turísticos. A primeira parada foi na Jesuitenkirche, ou igreja jesuíta, que tem um interior de cor branca que contrasta com sua fachada barroca de arenito vermelho. A imagem mais curiosa da igreja era a de um sacerdote quase idêntico ao Padre Cícero, seria mera coincidência? Logo ao lado da Igreja, encontra-se a primeira Universidade da Alemanha,  fundada em 1386. A faculdade de Medicina, primeira da Europa, ainda hoje atrai centenas de estudantes todos os anos para Heidelberg.

Padre Cícero na alemanha?

Universidade de Heidelberg
Praça da Universidade de Heidelberg
Essa forte tradição universitária da cidade se faz notar nos diversos pubs e tavernas facilmente encontradas na altstadt. A prisão de estudantes, prédio onde se mantinham encerrados os alunos que provocam distúrbios, é hoje uma interessante atração turística. Os antigos calouros encaravam a "estadia" na cadeia como um ritual de passagem para a vida acadêmica.

Casa do Estudante

Continuando pela Hauptstrase, o visitante chega a MarktPlatz, onde se localiza a imponente Igreja do Espírito Santo. Aproveite para comprar lembrancinhas nas barracas da praça.

Igreja do Espírito Santo

MarktPlatz e o castelo de Heidelberg ao fundo

Seguindo na direção Norte, a poucos metros dali, está a Alte Brucke, ou ponte velha, construção de pedra do ano de 1786, que dá acesso as trilhas de uma colina, conhecidas como o Caminho dos Filósofos. É de lá que se tem as melhores vistas da atração mais conhecida da cidade - o Castelo de Heidelberg. As torres presentes na ponte possuem ainda calabouços que serviam de prisão, mas é a escultura do macaco segurando o espelho que rouba a atenção do turista, uma curiosidade a mais para ser desvendada nesta obra-prima construída no reinado de Carl Theodor.

A alte Brucke

O caminho dos filósofos

Fortificações na Alte Brucke

Segunda visita ao castelo de Heidelberg

Era hora de conhecer o interior do castelo. Na estação do funicular, que fica na praça Kornarkt, pode-se comprar um ticket combinado que dá direito além da entrada,  uma viagem de ida-e-volta de funicular. Para quem dispõe de mais tempo, é possível subir pelo mesmo funicular ainda mais alto, até o topo da Königstuhl  de onde se tem uma bela vista de toda o vale em que se encontra Heidelberg.



O castelo de Heidelberg é um conjunto de prédios construídos ao longo do tempo, de diferentes estilos arquitetônicos. Os principais são o Ruprechtsbau, parte mais antiga do palácio, o Ottheinrichsbau, construção de estilo renascentista que hoje abriga parte do museu da farmácia  e o Friedrichsbau, parte mais moderna e conservada do palácio que inclui os belíssimos terraços com vista panorâmica.

Começamos a visita pelo portão Elisabethentor, mandado construir por Friedrich V para sua esposa Elisabeth Stuart em apenas uma noite. Já na parte interior do castelo, na Fassbau chama atenção o imenso barril utilizado para armazenar o  vinho recolhido dos súditos como tributo, assim como as torres, mirantes e pátios da Friedrichbau que podem ser facilmente visitados por conta própria. Alerto, entretanto, que a visita pode ficar bem mais interessante se for feito com auxílio de uma guia ou de um audio-guide. O complexo é muito extenso e rico em histórias, que podem passar desapercebidas sem o auxílio de uma dessas opções, disponíveis no centro de visitantes.


A fachada da friedrichsbau

Detalhes da fachada da Friendrichbau
Castelo de Heidelberg

A Ottheinrichsbau
Almoço no pub irlandês

Fugindo novamente do esquema salsichão-joelho de porco, uma boa opção é almoçar em um restaurante que sirva um outro prato típico da região, por exemplo, o Schnitzel, espécie de empanado de carne muito apreciado especialmente na Áustria. Minha primeira opção seria o restaurante Schnitzelhaus, mas um aviso em alemão dizia que o restaurante abriria somente para a janta. 

Resolvemos arriscar então no the Dubliner Irish Pub, e que bela surpresa tivemos ! A  boa variedade de cervejas. entre as quais as irlandesas Murphy´s e Guiness e a prata da casa Heidelberg ChristmasWeissnalt, deliciosa cerveja especial de natal, já era esperado encontrar em um pub. A surpresa ficou por conta do menu especial de almoço : pedimos um schnitzel com molho de cogumelo que estava simplesmente magnifíco. Quem diria que o  melhor schnitzel  que já comi na Europa seria em um pub irlandês em Heidelberg?

Schnitzel

Dubliner Irish Pub


Avaliação Final

Se fosse  possível descrever Heidelberg em uma só palavra eu diria que a cidade é cativante. A capital romântica da Alemanha é uma boa pedida para quem deseja conhecer mais da cultura desse incrível país, capaz de surpreender até o mais exigente dos viajantes.


  • Dicas :
  • Da Vinci. Excepcional restaurante italiano com ótimos preços e atendimento de primeira. Bahnhofstrasse 29
  • Hotel and Restaurant The Dubliner Irish Pub  Ótimo pub na principal rua da cidade. Prove o cardápio especial de schnitzel com cervejas escosas. 
  • Schloss Heidelberg. Estude a história do castelo ou opte por uma visita guiada para captar todos os detalhes destas ruínas que falam através dos séculos.


Comentários

  1. Olá Mario Junior, gostei muito do post e me sinto mais motivado em conhecer Heidelberg. Chego dia 20/12 em Frankfurt (11h) e ficaria até 23/12, quando parto para Estrasburgo. Lendo seu post e alguns outros penso em só passar o dia em Frankfurt e seguir no dia seguinte para Heidelberg. O que acha? Devo ir de trem? Pensei em alugar carro, mas tenho receio (e desejo) de dirigir na neve; Estarei com esposa e filhos (17 e 9 anos). Grato,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Emergency Rock, sua idéia é plenamente viável, tanto de trem quanto de carro. A vantagem do carro é você poder parar em cidades menores pelo caminho, como Mainz e Worms (fiz isso na minha viagem, veja meu post de Frankfurt). Porém, sempre existe o risco de mau tempo em Dezembro e para a maioria das pessoas leva um tempinho para se acostumar a dirigir na autobahn. Como você tem pouco tempo, acho que o trem pode ser a melhor opção. Pesquisei no site da db e a viagem no trem dura apenas 50 minutos e não tem paradas. Chegando em Heidelberg não precisa de carro, pode pegar o mesmo ônibus que mencionei no post ao lado da estação de trem e ir para o centro histórico, onde pode subir até o castelo. A rigor você pode até ir e voltar no mesmo dia para Frankfurt. Se quiser pernoitar em Heidelberg, ao sair da estação de trem deixe as malas no Ibis ao lado (é quase dentro da estação de trem), aproveite a cidade e o por do sol e volte para Frankfurt no dia seguinte. Você irão adorar a cidade.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Postar um comentário