[Europa 2013] Como é passar o Natal em Innsbruck / Áustria e Roteiro de 2 dias

Aeroporto de Innsbruck - Áustria


Após um emocionante vôo panorâmico no bimotor por cima dos Alpes, aterrisamos no Aeroporto de Innsbruck por volta de 14h. Assim que você coloca a cabeça para fora do avião já é recepcionado pela majestosa visão do paredão de rochas do nordkette (uma das montanhas que rodeam a cidade). A densa névoa que se aproximava foi um alívio espetacular para quem havia saído do calor de 30 graus do Nordeste brasileiro.

Aeroporto de Innsbruck

Retiradas as malas, pegamos o único táxi em todos os dias de viagem da Europa, incluindo os 21 dias que já havia passado anteriormente. Não que o táxi seja caro, especialmente se você viaja em grupo de três ou quatro pessoas, mas sempre acho mais prazeroso interagir com a população local.

Para quem ainda não sabe, quase todos os aeroportos que passei no velho continente, existe transporte público de qualidade pelo menos até o centro da cidade. Em Londres e Paris, por exemplo, o metrô me deixou praticamente na porta do hotel. Desta vez, porém, decidi abrir uma exceção primeiro porque já estávamos exaustos das horas de viagem e da confusão no aeroporto de Frankfurt e segundo, porque ainda queríamos chegar o mais rápido possível ao hotel para aproveitar o resto do dia (e da noite) de véspera de Natal. O táxi era muito confortável (estilo van) e custou pouco mais de 10 euros até o hotel. Deixamos as malas no IBIS Innsbruck, muito bem localizado próximo ao centro histórico e praticamente dentro da estação de trem da cidade.

Innsbruck - A cidade alpina dos Habsburgos


Possui aproximadamente 170 mil habitantes e é a maior cidade da região do tyrol, nos alpes austríacos. A cidade tem uma estreita relação com a dinastia imperial dos Habsburgos, que monopolizaram durante quase 600 anos a eleição de Imperador do Sacro Império Romano-Germânico, instituição governante da Europa Central durante mais de 1000 anos, somente dissolvido no ano de 1806.

Innsbruck era uma das cidades preferidas de vários Imperadores e nobres da família imperial, que costumavam se refugiar na cidade em busca da tranquilidade e do seu clima agradável. O centro histórico da cidade (altstadt) está repleto de edifícios e monumentos deixados como legado por essa família para as gerações futuras. Além disso, no inverno, a cidade é uma das mais procuradas estações de ski da Europa, tendo sediado as Olimpíadas de Inverno em duas ocasiões, contando com uma excelente infraestrutura para o turismo de aventura.

Roteiros Detalhados


Dia 1


Tarde - A Altstadt - O centro histórico

Uma das dificuldades de viajar no inverno na Europa, especialmente em época de festas do fim de ano é que grande parte das atrações abrem com horário bem reduzido ou simplesmente fecham em tempo integral. Como se tratava da tarde da véspera de Natal, o site do escritório de turismo da cidade ajudou bastante com as informações dos horários de abertura e eventos especiais que aconteceriam na cidade nesta época.

Segui um roteiro a pé de 2,6 km pelos principais pontos turísticos da cidade que já sabia que estariam abertos neste dia, concentrados no Centro Histórico, deixando as atrações mais afastadas para o dia seguinte.



A primeira parada obrigatória foi a movimentada Maria-Theresien-Straße. O nome da rua provém da Imperatriz Maria Theresa dos Habsburgos. Após a morte do seu pai que não deixou herdeiros masculinos, Maria Theresa  enfrentou a resistência de várias regiões do Império que se recusavam a aceitar uma imperatriz mulher. Para minimizar a situação, foram coroados como Imperadores do Sacro Império Romano seu esposo Franz I e após a morte deste, seus filhos, mas quem governava de fato era essa poderosa mulher, cuja presença até hoje se faz notar em vários monumentos e obras em toda a Áustria. É desta rua  que se tem uma das melhores vistas do nordkette, que pode ser conferida aqui embaixo :

Maria Theresien Strasse

Wurst
Seguindo o roteiro ainda deu tempo de aproveitar pelo menos por uns 20 minutos a feira de natal da cidade. Aliás, uma das feiras de Natal, pois Innsbruck possui várias delas espalhadas na cidade, mas somente uma ficava aberta na véspera de Natal. Aliás, se você estiver em alguma cidade da Europa na época natalina, não deixe de consultar o escritório de turismo para saber onde ficam as feiras de Natal locais, são atrações imperdíveis.

O mais legal da feira foi  provar o Kaiserschmarrn,um doce típico delicioso (o preferido do Kaiser Franz Joseph)  e a primeira wurst (salsichão) da viagem. A igreja do Espírito Santo, que nem sequer havia previsto no roteiro,  fica na mesma praça e também vale uma visita, foi uma grata surpresa.



Kaiserschmarrn - Doce da Feira de Natal


Igreja Espírito Santo
Hofkirche
A próxima parada foi no museu de cultura do Tyrol, que se encontrava parcialmente fechado : apenas uma  encantadora exposição de presépios estava aberta. Do lado do museu, fica a HofKirche, a famosa igreja imperial. Dentro do santuário, impressiona as estátuas em tamanho maior que o real de várias personalidades ligadas à familia dos Habsburgos, dentre antigos imperadores da família e até ancestrais espirituais, passando pelos imperadores romanos, de quem se julgavam descendentes. Até uma estátua do mítico Rei Arthur pode ser encontrada. Chama atenção também o belíssimo cenotáfio (tumba vazia) do Imperador Maximiliano, já que o mesmo se encontra sepultado em Viena. Não perca a visita a estes museus em nenhuma hipótese quando estiver em Innsbruck.

Cenotáfio do Imperador Maximiliano

HOFKIRCHE - A igreja imperial
HOFKIRCHE - A igreja imperial
HOFKIRCHE - A igreja imperial
HOFKIRCHE - A igreja imperial

Presépios no Museu do Tyrol
Saindo da igreja, pode-se avistar o palácio imperial e as montanhas da região ao fundo. Nesse momento, já aproveitamos para visitar o Hofburg e comprar o Innsbruck Card, um cartão que dá direito a você utilizar todo transporte urbano dentro da cidade e visitar todos os museus que encontrar aberto, além de subir os alpes pelo trem e teleférico e visitar o zoológico alpino.

O Hofburg, ou palácio imperial, construído pela Imperatriz Maria Teresa, é uma versão menor do  palácio homônimo de Viena. Seguindo a tradição dos Habsburgos, não tem a suntuosidade de outros palácios como Versalles e do rei Ludwig II, mas tem vários objetos bem preservados nos quartos abertos ao público. A exceção à esta austeridade fica por conta do salão principal do palácio, uma autêntica obra prima repleta de pinturas da família imperial. 

Praça em frente aos museus 

Noite - Frohe Weihnachten! - A noite de véspera do Natal

Logo chegou a hora de conferir a apresentação de Natal na principal praça da cidade, chamado Festival Tower Music. Eu não sabia muito bem do que se tratava, somente lá descobri que era uma apresentação instrumental de músicas de natal entre três prédios históricos que formavam um triângulo entre si ao redor da praça. O principal deles é o Golden Roof, ou telhado de ouro. Uma sacada do prédio em que a família imperial de Maximiliano I costumava observar o movimento da cidade e, ao mesmo tempo, podia ser observada pelos súditos.

Em frente à edificação estava a árvore de Natal, a mais linda que já vi na vida, toda natural. O prédio do restaurante Weinhaus Happ e da Torre StadtTurm também eram utilizados por outros grupos que se revezavam na apresentação das músicas natalinas. O momento mágico aconteceu quando a árvore de natal foi acesa e todas as bandas tocaram a música noite feliz, uma composição do padre Joseph Mohr dali mesmo do Tyrol, cantada em uníssono pela multidão na praça em todas as linguas imagináveis. A música é simbolo do natal universalmente conhecida. 



Apresentação no Telhado de Ouro
Natal na praça Herzog Friedrich
Entradas
Encerrada a apresentação, voltamos ao hotel para uma ducha e logo voltamos a praça para a ceia de natal no restaurante WeinHauss Happ, o mesmo restaurante que foi utilizado na apresentação musical. Já havia feito as reservas do Brasil (o que se mostrou providencial, pois quase todos os restaurantes fecham nesta noite) e desfrutamos de um maravilhoso jantar especial de Natal regado a um vinho austríaco, com direito a entradas, prato principal e sobremesa.
O edifício em que se situa o restaurante em si é um atrativo à parte, construído em 1484, conserva mais de 600 anos de tradição em vinhos e refeições na praça principal da cidade. Recomendo uma visita a esse belo restaurante para quem estiver em  Innsbruck.

Vitela
Biscoitos de Natal
Ao sair da ceia , nos deparamos com a praça vazia e fomos dar uma volta pelas deliciosas vielas do centro histórico. O costume das famílias austríacas é passar o natal em casa com a família, deixando as ruas quase desertas. Demos  uma passada na Catedral da cidade, porém o cansaço não permitiu ficar até a missa do galo, que dizem ser maravilhosa, fico imaginando os órgãos musicais centenários tocando as músicas natalinas. Mas sempre é bom deixar algo para uma próxima vez... 

Catedral de Innsbruck

Dia 2


Manhã - Revisitando a Marien Theresien Strasse e Subindo os Alpes

Acordamos no dia Vinte e Cinco de Dezembro às oito horas da manhã. Quem falou que vida de viajante é fácil? Aproveitamos as ruas desertas para bater fotos de alguns outros pontos de interesse. O roteiro abaixo  percorre a Marien Theresien Strasse, adentrando o Centro Histórico até o local exato do trem que sobe os Alpes.




Coluna St Anna
Percorrer a Marien Theresien Strasse é uma surpresa a cada esquina. Logo no seu início, existe o Arco do Triunfo (Triumphpforte), construído pela Imperatriz para homenagear seu marido falecido e também o casamento do seu filho.

Mais à frente estão o cassino e diversas lojas de grifes de marcas, culminando na coluna de St Anne e a espetacular vista do Nordkette. A rua então percorre o centro histórico e passa a se chama Herzog Friedrich Strasse que termina  no famosíssimo telhado de ouro (Golden Roof), vizinho ao Palácio imperial.

Arco do Triunfo
Praça do Cassino
Maria Theresien Strasse

Maria Theresien strasse
Centro Histórico
Praça Herzog Friendrich e o Telhado de Ouro

Hofkirche e a estação do NordketteBahn
Mas o objetivo principal do dia era subir a montanha mais conhecida de Innsbruck : a Nordkette. O acesso é feito pela estação de trem na praça em frente à HofKirche, marcada no mapa do roteiro. No moderno trem, após cruzar o rio Inn, pode-se alcançar as estações Alpenzoo e Hungerburg. De lá , deve-se pegar um bondinho para mais dois estágios de subida , chamados Seegruber e  Hafelekar, este último a 2229 m acima do nível do mar. Em cada parada, existe um restaurante de apoio que serve desde cafés até refeições completas. Do restaurante, pode subir uma rampa escorregadia que lhe levará direto a um plateau coberto de neve, com uma vista espetacular de toda a extensão das montanhas dos Alpes.

Para quem já fez o passeio aos Alpes na Alemanha, como o Zugspitze, em Garmirsch , notei algumas vantagens : a primeira diferença que percebe-se é que o trajeto de trem até o Hafelekarspitze demora bem menos tempo, assim como o preço é bem inferior. Em relação à vista, dei azar de subir no Zugspitze em um dia que estava nevando e com uma densa névoa que não podia enxergar uns 2 metros a frente do nariz, então curti mais a vista do Hafelekar. Por outro lado,  a descida em um estágio do Zugspitze vencendo o desnível de 2962 m de uma vez só no bondinho é bem mais dramática e bonita, além do que se ganha "de bônus" a vista do lago Eibsee. No mais, em opções de pontos de apoio, o restaurante do Zugspitze também é mais completo e oferece mais opção ao turista.

Rio Inn
Vista de Innsbruck subindo os Alpes
Capuchino no Seegrube
Este é o bonde para subir até o Hafelekar
Vista do Hakefelar

Hafelekar


Bonequinho de neve do Arthur
Mas o que mais me impressionou foi a sensação térmica que fazia lá em cima. Mesmo com vestimentas adequadas (as mesmas que já utilizei pra enfrentar a neve em Santiago, Bariloche e Zugspitze) senti a extremidade dos membros praticamente congelarem dessa vez. Ficou até difícil bater fotos, pois o vento praticamente não deixava tirar as luvas. Posso dizer sem sombra de dúvidas que foi o lugar mais frio em que estive e, olha que nesse assunto tenho até certa experiência. 

Na volta, descemos na estação Alpenzoo e fui dar uma conferida na atração homônima, cujo ingresso também está incluso no Innsbruck Card. Este zoológico se destaca pela coleção de animais nativos dos Alpes, notadamente lobos, ursos e aves de rapina. De hábitos predominantemente noturnos, não é fácil encontrar os bichinhos ativos no frio do dia.

O NordketteBahn na estação Alpenzoo

O Leão dos Alpes

Bambis
Tarde - O ônibus turístico e o Castelo de Ambras

Voltando à cidade programei o tempo exato pra visitar a última atração do dia que nosso curto tempo permitiria em Innsbruck : o castelo Ambras. Para chegar lá, pode-se utilizar o ônibus turístico SightSeeing Bus. Tanto o ônibus quanto a entrada do castelo estão inclusas no Innsbruck Card. O castelo é um pouco afastado da cidade e no caminho passamos por diversas outras atrações como o estádio olímpico de Innsbruck.

O castelo de Ambras foi construído pelo Duque Ferdinando, filho de Maria Teresa e está repleto de objetos da coleção particular desse nobre da Casa dos Habsburgos. Entre as curiosidades dos salões do castelo estão a armadura de um gigante da corte e do próprio Ferdinando, além de um retrato do Príncipe Vlad, o conde Drácula. Apesar do pouco mobiliário, o salão principal do castelo é simplesmente sensacional., um dos mais belos que já conheci. Programe pelo menos 1h30m para visitar esta atração. 

O castelo de Ambras

A armadura de Ferinando II

Salão Principal do Castelo
Avaliação Final

Devo dizer que a cidade de Innsbruck me surpreendeu positivamente, havia lido muitos relatos divididos entre os que amavam a cidade e os que achavam supervalorizada. Eu, particularmente, adorei Innsbruck como a cidade perfeita para se passar um natal em família. A cidade é limpa, organizada e bonita, fácil de  andar a pé e a maioria das atrações se concentram no centro histórico da cidade. Você só precisará usar o excelente sistema de transporte público para alguns pontos mais distantes (basicamente o castelo Ambras, a Zeughaus, o Zoológico e o Nordkette) . Um dia livre inteiro e um Innsbruck Card na mão é o tudo o que você precisa para curtir todas as atrações da cidade sem pressa e de forma econômica.


  • Dicas de Viagem :
  • Hotel Íbis Innsbruck - Sterzinger Strasse 1, Innsbruck 6020, Áustria.
  • Restaurante e Hotel Weinhaus Happ - Herzog-Friedrich-Straße 14
  • Innsbruck Card - À venda nos museus e Centro de Informações Turísticas (Centro e HBF). Preço em dez/12 : 21 euros. Se você vai passar 24hrs na cidade vale bem mais a pena do que pagar entradas individuais.


Comentários

  1. Boa Noite

    Amei conhecer seu blog e ler suas impressões de Insbruck, pois pretendo vistá-la em janeiro/2014. Muito didático e prazeroso. Emocionei-me ao ler seu relato sobre a noite de natal na praça com a iluminação da árvore de natal e todos cantando "Noite Feliz". Deconhecia sua autoria. Vou continuar visitando seu blog.

    Obrigada

    Maria Esther

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria Esther,

      Que bom que consegui transmitir um pouco dessa grande aventura que foi passar o Natal nessa linda cidade, o momento que cantam a noite feliz é especialmente mágico, emocionante mesmo, muito família. Em Janeiro o tempo vai estar bem parecido com o que peguei no fim do ano passado, um passeio pelo Nordkette é uma ótima pedida.

      Excluir
  2. Olá

    Eu de novo!
    Você poderia informar onde você pegou este voo de bimotor ? Custa caro? Por que o o aeroporto de Frankfurt é confuso ?
    Vou embarcar por ele na minha volta ao Brasil.

    Obrigada

    Maria Esther

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria Esther, fique tranquila, a confusão não foi por causa do aeroporto de Frankfurt , mas sim por causa da companhia aérea que trocou os nomes de alguns familiares na conexão entre frankfurt e innsbruck. Não custa caro não, pode ser comprado no site da Lufthansa, mas é operado pela Tyrolean Airways.
      No meu caso eu já comprei junto com minha passagem do /brasil para Frankfurt pela condor , relatei esta experiência completa do vôo aqui http://avidadoviajante.blogspot.com.br/2013/01/europa-2013-dia-1-problemas-na-condor-e.html

      Excluir
  3. Eu também adorei ler sobre a noite de Natal, e finalmente saber sobre o autor desse hino tão lindo que é Noite Feliz, ouvi o vídeo e até me emocionei. São ótimas as suas dicas, e fez ver que essa viagem pode ser realmente maravilhosa e feita com economia. Basta apenas ser um sonhador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Rose, aquele momento em que ouvimos noite feliz, foi um realmente especial e pra isso não foi preciso gastar tubos de dinheiro, bastou planejar direitinho para estar no local e o no momento certo. Vamos continuar sonhando, porque o que é a vida senão um grande sonho? =)

      Excluir

Postar um comentário